Pergunte-me como o Coaching, pode fazer você, atingir seus objetivos:

Você merece sentir raiva, desprezo?

...E outros sentimentos, que de vez em quando somos obrigados a sentir?

Palavras chave: Alinhamento, Coach, Coaching, Coachee, Compaixão, Crenças, Espiral Descendente, Gatilhos, Merecimento, Perdão, Raiva, Reações Adversas, Sentimentos, Valores

É muito comum em nossos atendimentos de Coaching, os Coachees (Clientes), muito constrangidos nos relatarem, que sentiram raiva, desprezo, ódio, e outros.... Várias crenças estereotipadas de: "Que coisa feia... " , "Você uma pessoa tão equilibrada, sentir...." , fazem com que todos nós lidemos com culpas em relação a estes sentimentos. Eu costumo dizer aos meus clientes que depende de seus valores. Em que encarar de frente o que desalinhou os mesmos, compromete sua autoestima?

Ao sentir-se bem consigo mesmo, ainda que algumas vezes uma raivinha apareça, é fator primordial para construção de uma vida equilibrada, capaz de eliminar a raivinha e outros sentimentos de difícil administração em nossas vidas.

Um querido mestre que passou pela minha vida afirmava: Faça o bem inicialmente para você, caminho certo para ser bom.

....e para ser bom, é necessário conhecer, o que seus valores e seus gatilhos exigem de você. O que é constrangedor no trato dos sentimentos em discussão são as reações adversas assumidas, quando não conseguimos dissolver com lógica e congruência o que estamos sentindo.

O que é mais "feio": Assumir a raiva e resolvê-la com ponderação ou deixar-se levar por atitudes agressivas decorrentes da mesma? Você merece isso?

Os exemplos falam por si:

Recentemente atendi uma Coachee, que queria perdoar seu pai e não conseguia fazê-lo. Um Coach, destaco sempre, tem ferramentas para criar um plano de ação, muito além de criar uma terapia para o assunto.

Minha Coachee(Cliente) chegou a conclusão que a situação que envolvia seu pai, era bastante séria e que sua mágoa, raiva, tinha razão de ser. O que ela na verdade precisava era perdoar a si mesma, por vários anos ter convivido com aquele sentimento. Não há certo ou errado nesta situação, todavia o que fazia mal a ela, era sem dúvida ter um sentimento negativo dentro de si, incongruente com seus valores. Há situações em que precisamos administrar o convívio com pessoas difíceis com as quais convivemos. Um simples perdão não justifica uma situação grave.

A fabulosa Louise Hay em entrevista na GNT no programa da The Oprah Winfrey Show, disse:

- Você merece perdoar outras pessoas, não por elas, por você. O sentimento de mágoa, de raiva acaba com sua vida. E você precisa continuar a viver, certo? Aqui não se trata de um ato de caridade, é uma decisão por você. Quando perdoamos alguém, perdoamos a nós mesmos. Quando você perdoar alguém não há necessidade de convidá-lo para almoçar o dia seguinte em sua casa. Você vai tirar de sua alma todos os malefícios do não perdão. A pessoa perdoada, pode não saber do seu perdão para o resto da vida. Você precisa saber!!!

Ainda dentro dos exemplos, outro dia um Coachee perguntou-me, como lidar com um funcionário seu, indisciplinado e de difícil trato.

Enquanto este Coachee relatava-me detalhes do seu funcionário, que havia sido causa de uma enorme briga pela manhã em seu escritório, o seu semblante transfigurava, o suor escorria pelo seu rosto. Perguntei-lhe:

A briga foi pela manhã. O que aconteceu no resto do dia para você?

- O dia foi desastroso. Tudo deu errado. Relatou-me o Coachee, sensivelmente triste após ter exposto seu descontentamento.

Meu Coachee entrou em uma Espiral Descendente.
Este estado de espírito ocorre quando a pessoa entra em foco negativo, de vítima. A postura de quem está neste estado é reativa e defensiva. Como para meu cliente, o dia acaba sendo tão negativo quanto seu estado de espírito.

A grande questão a ser analisada nestes casos, é se você merece acabar com seu dia, muito além do que seu parceiro precisa ou não ouvir. Neste momento a resposta precisa ser lógica e sem emoções, na hora certa, exatamente para preservar você. Algumas vezes esperar 10 minutos para resolver a situação, pode nos trazer a tranquilidade e serenidade necessárias para resolver a questão.

A grande beleza de conhecer-se profundamente é que você pode escolher os sentimentos que quer ter, em relação a você mesmo e aos outros. Você pode substituir, com relativa facilidade, a raiva pela compaixão. Há certas pessoas, que conosco convivem, que estão muito mais para o segundo sentimento do que para o primeiro. Com o sentimento de compaixão você vai decidir um intrincado processo de relacionamento profissional ou pessoal, com muito mais lógica e serenidade. Você estará sendo caridoso com você. Pode acreditar. Você não merece sentir raiva. Vale ponderar sobre.

Todos estes processos de alinhamento de valores podem requerer acompanhamento de um Coach. Tendo dúvidas entre em contato.

 

 

   

 

 

 

 

Master Practitioner em PNL

Click aqui para falar comigo ==> atendimento@coachviaconte.com.br

Elza Conte - Uma Coach que acredita em constante reconstrução.